Páginas

sexta-feira, 23 de maio de 2014

No Divã da Depilação: O RABISCO





Eu sempre fui uma mulher de poucos pêlos, embora minha genética fosse boa, um bom corpo, um bom cabelo, uma boa pele, mas meus hormônios gritavam dentro de mim. Com isso desde adolescente sofria com as cólicas menstruais, com as espinhas e com os excessos de pêlo. Comecei a me depilar aos 15 anos, mas minha primeira depilação não foi tão legal, como eu sofri.
Minha mãe já se depilava com cera quente, a acompanhei em algumas sessões, achei legal, mas quando chegou minha vez resolvi fazer em casa com uma tal de “maquininha elétrica”, uauuu, como doeu. Hoje como profissional entendo o porquê doeu tanto, meus pêlos da canela estavam enorme, virgens e aquela maquininha que puxava os fios foi terrível. A partir daí fui conhecer a cera, que por sinal era fria.

Bom agora e em algumas postagens estarei contando um pouco da minha experiência como profissional, cliente e professora. As histórias que vou contar aqui fazem parte do meu dia a dia, pertencem a mim e as minhas clientes, que ao freqüentarem minha clínica além de saírem de lá sem seus pêlos deixam para trás suas histórias de vida. Selecionei algumas histórias de clientes, amigas e alunas, que coletei ao longo desta minha jornada e compartilho com vocês agora.  Verdadeiras Deusas Gregas que habitam dentro de si.

Lembrando que os nomes dos personagens são fictícios, foram alterados para preservar a identidade das pessoas. A maioria das histórias são reais, embora  tivesse a ousadia de acrescentar uma pitada de aventura, interpretação e técnica da minha parte. 


Fazer uma depilação de virilha é algo delicado, cada cliente tem um gosto, um desejo, um medo. Cada uma das clientes escolhe fazer de uma forma que se sintam á vontade consigo mesma, ou apenas pra agradar alguém, marido, namorado, amante.
Cléo chegou toda animada, seu jeito simpático de ser, olhos pretos igual jaboticaba e uma pele morena queimada do sol. Ela já depila comigo a um ano e sempre pede o mesmo tipo: não muito cavada, ordens do marido. Sempre respeito o que a cliente quer, costumo perguntar antes de cada sessão, como ela quer depilar, tudo, só a cava, quer deixar um pouco, para não errar e agradar.
Com Cléa foi assim, ela já chegou dizendo e mostrando, apenas a cava senão tereia briga em casa, pediu também para eu não aparar os pêlos porque o marido gosta assim “peludinha”. Acho muito gentil as mulheres querem agradar seu companheiro, é saudável, afinal eles serão os que vão usar e apreciar.
Nesses casos a marcação é importante para não errar a região a ser depilada, pois já errei com Cléo uma vez. Ela chegou e não me disse nada, mas eu já me lembrava de como ela queria sua virilha. Mas entre uma conversa e outra, acabei arrancando pêlos que não devia.
- “Ó não!”- disse Cléo, “você exagerou”
Quando vi, realmente havia retirados pêlos indevidos, fiquei chateada, pedi desculpas, mas infelizmente não havia como consertar, não tinha como colar os pelinhos retirados, deveria deixar crescer. Cléo entendeu meu erro, embora parecesse chateada, seu marido iria ficar furioso com ela.
No mês seguinte Cléo voltou, fiquei feliz em vê-la novamente, mesmo depois de ter errado na sua depilação. Como de costume se deitou, na hora que fui começar os procedimentos, reparei que ela estava desenhada, rabiscada. Fiquei olhando aquilo e ela me disse:
 - “Vanessa ele me marcou que é para você não errar, não tire nenhum pelinho a mais”.
 Dei uma risadinha e disse: 
“ok,prometo que não vou errar desta vez”. Achei interessante a situação, os detalhes, o capricho, a dedicação do marido com sua parceira, pareceu que ele realmente cuida e repara no corpo de sua mulher. Terminado o procedimento, dei um espelho portátil para ela observar e ver se ficou certinho desta vez. - “Parece que está tudo certo, o que a gente não faz pelos maridos” – disse Cléa sorrindo. 
Fiquei feliz pela a provação dela, compensou o erro anterior. 



Espero que vocês tenham gostado da história, foi real, logo estarei contando outros episódios da séria No Divã da Depilação.


Beijos.


3 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula disse...

Olá Vanessa!
Tenho acompanhado e curtido muito as dicas de seu blog.
Adorei a história! Você deve ter muitas outras e bem interessantes..., quem sabe um dia você escreve um livro, né?!
Que bacana, parabéns e obrigada por compartilhar suas experiências conosco.
Beijos!
Ana Paula

Vanessa Mura disse...

Oi Ana tudo bem com vocês..nossa fico feliz que acompanha meu trabalho...to progredindo e o livro um dia sai..rss..
Bjão pra vocês.